Bolsonaro manda suspender uso de radares nas rodovias federais

Bolsonaro manda suspender uso de radares nas rodovias federais

Presidente também determinou que Ministério da Justiça revise fiscalização pela Polícia Rodoviária Federal

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) determinou ao Ministério da Infraestrutura que faça a reavaliação da regulamentação dos procedimentos de fiscalização eletrônica de velocidade em vias públicas, especialmente com relação ao uso de equipamentos estáticos, móveis e portáteis. O despacho está publicado no Diário Oficial da União desta quinta-feira, 15, e objetiva, segundo o texto, “evitar o desvirtuamento do caráter pedagógico e a utilização meramente arrecadatória dos instrumentos e equipamentos medidores de velocidade”.

Em seguida, em outro despacho, o presidente determina que o Ministério da Justiça faça a revisão dos atos normativos internos que dispõem sobre a atividade de fiscalização eletrônica de velocidade em rodovias e estradas federais pela Polícia Rodoviária Federal e suspenda o uso de equipamentos medidores de velocidade estáticos, móveis e portáveis até que o Ministério da Infraestrutura conclua a reavaliação da regulamentação dos procedimentos de fiscalização eletrônica.

Bolsonaro já tinha manifestado sua intenção de acabar com os radares móveis no país que, segundo ele, funcionam como uma “pegadinha”, “um caça-níquel”. Na última segunda-feira, ele já tinha antecipado que iria suspender os radares móveis até que haja o entendimento melhor sobre o que deve ser utilizado.

Dallagnol perde advogados em processos disciplinares no CNMP

Dallagnol perde advogados em processos disciplinares no CNMP

Procurador também responde a procedimento por causa de diálogos revelados pelo site The Intercept Brasil

O procurador Deltan Dallagnol, do Ministério Público Federal, perdeu os advogados que o representavam em dois processos disciplinares a que ele responde no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). Os constitucionalistas Eduardo Mendonça e Felipe de Melo Fonte defendiam o coordenador da Operação Lava Jato, mas renunciaram. A mudança se dá após a divulgação de mensagens que colocam em xeque a atuação do procurador no âmbito da força-tarefa.

A VEJA, Mendonça confirmou que a decisão se deu em comum acordo. O novo representante de Dallagnol será o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal e ex-chanceler Francisco Rezek. Os advogados faziam a defesa do procurador em reclamações movidas pelo presidente do STF Dias Toffoli e pelo senador Renan Calheiros (MDB-AL), mas não atuavam no processo disciplinar relacionado aos diálogos.

Os dois casos dizem respeito a uma discussão sobre liberdade de expressão — tema em que Mendonça é especialista. Toffoli apresentou uma queixa por causa de uma crítica que Dallagnol fez a ministros da corte: em entrevista à rádio CBN, o procurador afirmou que decisões dos ministros do STF Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli mostram leniência com a corrupção.

Suspeito de roubar carga de cigarros é baleado em confronto com a PM em Curitiba

Suspeito de roubar carga de cigarros é baleado em confronto com a PM em Curitiba

Ele entrou em confronto com policiais militares no cruzamento da Rua Pedrina Accordes Costa com a Estrada do Ganchinho

Um suspeito de roubar uma carga de cigarros foi baleado no braço na manhã desta quinta-feira (15), no bairro Umbará, em Curitiba. Ele entrou em confronto com policiais militares no cruzamento da Rua Pedrina Accordes Costa com a Estrada do Ganchinho.

Tudo começou quando, pela aeronave, a equipe da PRF avistou dois homens fazendo o transbordo da carga de um caminhonete Fiorino branca para um Onix preto, em um terreno baldio às margens da BR-116, no Contorno Leste.

De imediato, a dupla tentou fugir inicialmente a pé. Em seguida, voltaram para o carro preto e saíram com a tampa do porta-malas aberta. Os dois homens foram abordados por equipes da PM. Um deles levou um tiro no braço e foi detido e o outro fugiu.

Buscas seguem sendo realizadas na região.

Lateral Adriano vai estrear pelo Athletico no próximo sábado

Lateral Adriano vai estrear pelo Athletico no próximo sábado

Informação foi revelada pelo técnico Tiago Nunes durante entrevista em Porto Alegre

O técnico Tiago Nunes revelou que o lateral Adriano vai estrear com a camisa do Athletico no jogo contra o Atlético-MG, no próximo sábado (17), às 19h, na Arena da Baixada. O jogador já ficou no banco de reservas durante a derrota para o Botafogo por 2 a 1, no último domingo (11), mas não entrou em campo.

“A ideia é que o Adriano faça a estreia no jogo agora com o Atlético-MG. É um jogo importante para retornar ao futebol brasileiro e vamos escolher o grupo mais descansado”, declarou Nunes, em entrevista após a derrota do Athletico para o Grêmio por 2 a 0.

Adriano pode atuar em qualquer uma das laterais ou até no meio-campo. O treinador rubro-negro já sabe em qual função o atleta vai jogar, mas manteve o mistério para o público. “A ideia é que o Adriano faça a estreia no jogo agora com o Atlético-MG. É um jogo importante para retornar ao futebol brasileiro e vamos escolher o grupo mais descansado”, comentou.

De acordo com informações apuradas pela reportagem da Banda B, o experiente jogador vai estrear justamente na lateral-esquerda. Ele vai ficar com a vaga de Márcio Azevedo, titular no jogo contra o Grêmio. Os outros nomes da posição são Abner Vinícius e Abner Felipe, que também podem jogar na Copa do Brasil.

Maioria dos aposentados que quadrilha enganava por telefone era funcionário público

A equipe da PCPR colheu milhares de cadastros de funcionários públicos, entre eles, militares

Uma quadrilha é suspeita de faturar cerca de R$ 30 milhões com empresas de seguros que aplicavam golpes em aposentados. Nas investigações, já foram encontrados milhares de cadastros de funcionários públicos que seriam utilizados para a prática de golpes. A Polícia Civil do Paraná (PCPR), realizou apreensões dos documentos, na manhã desta quinta-feira(15), e investiga 29 pessoas e 20 empresas de fachada que estariam praticando o golpe há 5 anos.

Nas apreensões de hoje, a equipe colheu milhares de cadastros de funcionários públicos aposentados, entre eles, militares. “Já temos uma boa quantidade de provas, entre elas milhares de cadastros de funcionários públicos aposentados, em sua maioria policiais militares, agentes do exército e policiais civis também , todos aposentados que seriam utilizados esses cadastros para prática de golpes”, explicou à Banda B o delegado Cassiano Aufiero, do 7º Distrito Policial.

 quadrilha pegava cadastros de pessoas aposentadas e ligavam para elas. Uma visita era agendada e eram colhidas assinaturas em um papel em branco. Posteriormente, eram feitos seguros de vida, que descontariam até R$ 200 por mês das contas bancárias dessas vítimas.

“Eles pegavam cadastros de pessoas aposentadas, adquiridos por órgãos públicos. Inclusive, estamos investigando a participação de agentes públicos no momento de ceder esses cadastros. De posse desse cadastro, eles ligavam para essas vítimas, se dizendo funcionários de agências bancárias, INSS, Paraná Previdência, e agendavam visita com os idosos. Com o pretexto de fazer uma atualização cadastral, eles colhiam assinaturas em folhas em branco, formalizavam como seguros de vida, que resultava em um desconto de R$50 a R$200”, disse o delegado.

Quando as vítimas percebiam que esse valor estava sendo descontados mensalmente, tinham que se dirigir pessoalmente a uma agência para fazer o cancelamento. “Uma pessoa de mais de 80 anos de idade, que já tem uma certa dificuldade de locomoção até mesmo de entender o que estava entendendo, tinha que se dirigir a uma agência para cancelar. Feito isso, o valor que tinha sido pago era perdido, mas deixava de ser debitado”, explicou Aufiero.

Cerca de 150 policiais civis cumpriram buscas nos bairros Boa Vista, Barreirinha, São Loureço, Bairro Alto, Bacacheri, Juvevê, Pilarzinho, Centro, Centro Cívico, São Francisco, Rebouças, Bigorrilho, Santa Felicidade, Água Verde, Portão, Boqueirão, Xaxim, Fanny, Vila Guaíra, Guaíra, Cidade Industrial de Curitiba e Campina do Siqueira.

Na RMC, os policiais civis cumprem os mandados nos municípios de São José dos Pinhais, Pinhais, Bocaiuva do Sul, Itaperuçu, Araucária e Fazenda Rio Grande.

Empresas de fachada

Essas empresas, além de realizarem um cadastro falso, também tinham funcionários sem autorização do Susep para realizar a atividade.

“Eram empresas de seguro de fachada, pois era forjados os colhimentos de assinaturas. Dessas 20 empresas, a  maioria dos funcionários nem mesmo tinham autorização para trabalhar. Para exercer essa atividade, a pessoa precisar ser inscrito no Susep, que é o órgão regulador”, completou o delegado .

Imagens da operação cedidas pela PCPR: